Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

O Reino Unido estuda incorporar um lançador múltiplo de armas para a aeronave de combate Typhoon

O Ministério de Defesa do Reino Unido destinou uma partida financeira de 1,7 milhão de libras com a qual  financiar um estudo de viabilidade para um lançador de armas comum  destinado à aeronave de combate  Eurofighter Typhoon. O programa de estudos será desenvolvido pela BAE Systems como integrador principal de armas do Typhoon, junto aos fabricantes de armamento MBDA e Raytheon UK. O objetivo e poder desenvolver um lançador comum múltiple que permita instalar três armas em cada ponto de ancoragem da asa da aeronave,    o que aumentaria significativamente a capacidade de lançar armas de precisão com maior persistência.

O Ministério de Defesa britânico deseja dispor deste lançador para poder instalar duas das armas que selecionou como o   Dual Mode Brimstone 2 de MBDA, não só em missão de ataque ao solo, mas também como uma futura arma antinavio para os Typhoon da Real Força Aérea (RAF). A outra arma para incorporar a  este lançador é a bomba de precisão Paveway IV Raytheon. A incorporação do míssil  Brimstone e o radar de varredura eletrônica Captor E-Scan são algumas das melhorias destinadas a aumentar a capacidade do Typhoon  em sua missão de ataque ao solo. Em fevereiro os sócios do programa Typhoon assinaram o contrato de melhora das aeronaves, denominado Phase 3 Capability Enhancement, cujas entregas devem começar em 2017. Avaliado em 200 milhões de euros, significa estar desenvolvendo uma nova série de melhorias para o avião de combate focadas principalmente na integração de novas armas ar-superfície para aprofundar a capacidade dos aviões de ataque ao solo ou multirole da aeronave de combate  européia. Uma das tarefas aprovadas foi o lançamento de dois mísseis Brimstone na configuração mais comum, que envolve a instalação de um  lançador triplo em cada  asa, programa  que agora foi também  aprovado pelo Ministério da Defesa. (JNG)


© Copy Right Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.