Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Argentina avança no seu relacionamento com a China para se tornar fornecedor de material de defesa. Ambos os países chegaram a um acordo para produzir veículos blindados

(defensa.com) O ministro da Defesa da Argentina, Agustín Rossi, encabeçou uma reunião de cooperação entre o seu país e a China com o objetivo de aumentar a produção relacionada com a defesa no contexto da aliança estratégica entre os dois temas países e na véspera da visita do presidente Cristina Fernandez de Kirchner, em fevereiro. A reunião foi realizada no hall do Edifício Libertador Belgrano, dirigindo o diretor delegação chinesa do Departamento de Comércio e Assuntos Militares Estrangeiros, Zhang Chunli.

Os funcionários concordaram em assinar um acordo para a produção de veículos blindados que vão ser destinados à Força Binacional de Paz “Cruz del Sur” em Beijing no próximo mês durante a missão comercial que será encabeçada pela chefe de Estado argentina.  Também foi acordado no país asiático assinar um memorando específico de convênio entre a Diretoria Estatal de Ciência, Tecnologia e Produção para a Defesa da República Popular da China e a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Ministério da Defesa da Ciência Argentino.

Na reunião foi tratado também o estado atual da produção conjunta de um navio polar, a aquisição de hospitais para emergências e a ampliação de fábricas de produtos químicos em Rio Tercero, Córdoba, bem como a modernização ou encomenda de navios de patrulha oceânicos OPV. Contou- se com a presença do secretário de Ciência, Tecnologia e Produção de Defesa, Santiago Rodríguez; o Subsecretário de Assuntos Internacionais, Roberto De Luise; a secretária do Serviço de Logística de Defesa, Lucia Kersul; o comandante operacional do EMCO, Ricardo Cundom; o Vice-Chefe do COEM, Emilio Infante; e o vice-chefe da Força Aérea, Rodolfo Centurion. (Luis Piñeiro, correspondente Edefa na Argentina)


© Copy Right Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.