Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Marines batem o recorde nos seus MV 22 desde Califórnia a Rio, o vôo mais longo de Moonlights

O Corpo de Fuzileiros Navais (Marines) dos Estados Unidos estabeleceu um novo recorde de distância de vôo com aeronaves de rotor oscilante (tilt rotor) Osprey MV-22Bs tendo três unidades viajado da Califórnia ao Brasil para participar nas manobras Unitas atuais. Até agora, o vôo do esquadrão foi a rota mais longa na história do modelo. O MV-22 Osprey é usado para apoiar as tropas em combate desde 2007 e trata-se atualmente do principal vetor de missões de apoio de assalto utilizadas pelo U.S. Marine Corps.

A tripulação que realizou este vôo, do Marine Medium Tiltrotor Squadron 764 (Moonlights) voou 6.165 milhas (11.417 quilômetros) desde o Marine Corps Air Station de Miramar ao Rio de Janeiro. Os fuzileiros navais fizeram esta viagem como parte do UNITAS Amphibious 2015 um exercício marítimo multinacional de nove dias ,programado para terminar o 24 de novembro. Cerca de 1.000 militares do Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, México, Paraguai e Peru estiveram direta ou indiretamente envolvidos no mesmo.
O esquadrão de Ospreys fez um vôo de cinco escalas que incluiu pousos em Trinidad e Tobago e Brasil, segundo informou o primeiro-tenente Tyler Hopkins, porta-voz de UNITAS. As três aeronaves foram apoiados por outros tantos KC-130J Hercules do Marine Aerial Refueler Squadron 234, junta a um KC-130 do Marine Aerial Refueler Squadron 452.

O voo durou cinco dias, a partir de que os seus responsáveis optaram por eludir quadros de meteorologia crítica durante o trajeto. As lições aprendidas com este longo voo ferry permitirá que os fuzileiros navais possam avaliar as respostas mais rápidas e mais eficientes, e ajudar a preparar melhor as tripulações operacionais para atravessar fronteiras internacionais e para tratar várias outras preocupações relacionadas com este tipo de voo.
Com o dobro da velocidade e um alcance de quase cinco vezes a mais do que um helicóptero, o V-22 usa dois rotores basculantes em ambas as extremidades das asas fixas, permitindo pousos e decolagens verticais, desenvolvendo logo como aeronaves de asa fixa. Esta é a segunda vez que os Osprey chegam ao Brasil em missão, como também o fizeram em 2014 dois destes Bell V-22 Osprey pertencentes ao Esquadrão VMX -22 USMC de Avaliaçao e Testes , quando o USS América (LHA 6) se transferiu desde os seus estaleiros originais em Pascagoula, Mississippi para sua nova base habitual em San Diego, Califórnia, visitando, entre outras escalas sul e centro-americanas Guantánamo, Cartagena, Port Of Spain, Punta del Este, Rio de Janeiro e Valparaiso. (Javier Bonilla)


Copyright © Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.