Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

França contrata viaturas para as suas forças especiais

A DGA (Direction Générale de l’Armement) do Ministério da Defesa da França anunciou no dia 7 de Janeiro ter notificado à empresa local Renault Trucks Defense (RTD) no dia 30 de Dezembro de 2015 a execução de um contrato para a produção de 443 viaturas de rodas 4x4 para as unidades de forças especiais que integram o Comando das Operações Especiais das Forças Armadas da França, ou COS (Commandement des Opérations Spéciales). A frota permitirá substituir progressivamente os diversos modelos de viaturas 4x4 de intervenção utilizadas pelas várias forças.

A empresa que integra o grupo Volvo Group Governmental Sales (VGSS) fornecerá 202 veículos pesados ou "Véhicules Lourds des Forces Spéciales" e 241 veículos ligeiros ou "Véhicules Légers des Forces Spéciales". A Panhard Defense, empresa que também integra a VGGS será responsável por realizar a concepção e produção do veículo ligeiro.

A também francesa Essonne Sécurité terá como missão conceber e produzir equipamentos comuns aos dois veículos. Esta empresa especializa-se no desenvolvimento e produção de soluções de blindagem e suportes para armamento.

A DGA revelou ainda que 25 viaturas pesadas serão recebidas ainda em 2016 para responder às necessidades mais urgentes. Os primeiros veículos ligeiros serão recebidos em 2018.

Esta aquisição vem contribuir para reforçar a capacidade do COS em executar missões de reconhecimento, neutralização e ataque em territórios hostis. A decisão de aumentar significantemente a capacidade de forças de operações especiais foi enfatizada no seio do mais recente Livro Branco sobre a Defesa e Segurança Nacional. Nos últimos anos, o COS beneficiou da distribuição de uma importante panóplia de armamento ligeiro, equipamento individual, veículos aéreos e terrestres remotamente controlados, viaturas 4x4, embarcações rápidas, sistemas de reconhecimento e comunicações e alguns helicópteros.

Os veículos de operações especiais caracterizam-se por oferecer uma elevada mobilidade, poder de fogo e carga útil e incorporar suportes para metralhadoras, uma limitada protecção balística, guinchos de reboque; corta cabos; lançadores de granadas de fumo; rampas de transposição; ferramentas; e provisões para o transporte de sistemas de observação, comunicações e informação; armamento; equipamento individual; rações de combate; caixas de munições; e depósitos externos de combustível e água.

O COS é na actualidade composto por forças de operações especiais oriundas do exército, força aérea e marinha. A força emprega presentemente viaturas 4x4 Panhard Defense VPS (Véhicule Patrouille Spéciale) sobre chassis Mercedes-Benz GD270 CDI, Peugeot P4 PASTAS (Patrouille Spécialisée), ACMAT Defense VLRA (Véhicule de Liaison, de Reconnaissance et d’Appui) do tipo TPK436 STL2 e Land Rover Defender 110 TD5. Este executa missões de formação, aconselhamento e enquadramento de unidades militares estrangeiras, participação em processos de avaliação e tomada de decisão, protecção de personalidades, reconhecimento no cenário de operações, ataque a objectivos, neutralização de instalações, apoio especial, contra-terrorismo, acções de diversão ou decepção, e captura de pessoas ou material.

A Direction Générale de l’Armement não revelou quais serão os veículos existentes que servirão de ponto de partida para desenvolver os dois novos veículos específicos agora contratados, mas estima-se que o veículo 4x4 Sherpa Light da RTD, e as mais recentes versões das viaturas VPS, PVP (Petit Véhicule Protégé) ou até o VAP (Véhicule d'Action dans la Profondeur) da Panhard Defense, possam ser os candidatos. Victor M.S. Barreira.

Fotografia: Viatura de operações especiais VPS do Exército Francês (Victor M.S. Barreira).


Copyright © Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.