Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

A Força Aérea da Colômbia recebe o primeiro VANT israelense, enquanto as provas em vôo da aeronave robotizada nacional “IRIS”

(defensa.com) O Comandante da Força Aérea da Colômbia (FAC), general-do-ar Tito Saúl Pinilla, revelou que esta prevista para o mês de outubro a chegada de dois Sistemas Aéreos Não Tripulados (UAS conforme sigla em inglês) fornecidos pela israelense Elbit Systems para serem entregues à Força Aérea da Colômbia (FAC), sem confirmar o número de Hermes 450 e 900 encomendados num acordo de governo a governo.

Pinilla disse na ocasião que serão recebidos dois modelos distintos de UAS por meio de um acordo entre os governos de Bogotá e Tel Aviv. Segundo ele, esses sistemas serão mais avançados dos que aqueles usados atualmente pela FAC.

O Comandante da Força Aérea acabou por desmentir uma noticia publicada no diário estadunidense The Washington Post de que o governo dos Estados Unidos estaria disposto a enviar para a Colômbia aeronaves não tripuladas que estavam operando no Afeganistão. O militar pontuou que até aquele momento não havia informações de que isso poderá acontecer, embora tenha dito que essa ajuda seria bem-vinda. Pinilla informou também que a Colômbia já possui uma frota de aeronaves não tripuladas operando em diferentes regiões do país e em operações de ordem pública, entre elas, de inteligência e de proteção às infra-estruturais.
Por último, o Comandante da FAC lembrou que a instituição, em conjunto com a Corporação da Indústria Aeronáutica S.A. (CIAC), já desenvolveu um modelo de aeronave não tripulada que começara a voar em breve sob a denominação de “Iris”, etapa de ensaios a ser realizada com o apoio do Comando Aéreo de Manutenção (CAMAN), organização da FAC situada em Madrid, município próximo de Bogotá. O desenvolvi mente deste VANT está enquadrado no processo iniciado pelas Forças Armadas da Colômbia para fortalecer as tarefas de inteligência no país.
O Diretor Geral da CIAC, general Guillermo León, afirmou, meses atrás, que este projeto “busca que o país venha a ser autônomo na construção destas aeronáves estratégicas no mundo militar”.
Na Colômbia já voa o “Navigator X2”, primeiro VANT fabricado no país. Com 5 metros de envergadura, está construido em fibra de carbono, alcançando uma velocidade de 85 km horários, voa a 4.300 metros sobre o nível do mar, e transmite imagens em tembo real, a uma base terrestre, sempre que a distância da mesma seja inferior a 30 km.
Trata-se do primeiro sistema nacional remotamente tripulado nacional em voo, pelo momento destinado a usos civis. A versão militar com um investimento do governo colombiano de mais de um milhão de dólares, será de 3,20 metros de envergadura e deverá ultrapassar o teto do Navigator em nível de voo em capacidade de transmissão de imagens remotas.

 


Copyright © Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.