Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Eurofighter formalizou a sua candidatura na proposta dos Emirados Árabes Unidos para a aquisição de 60 aviões de combate

O Eurofighter Typhoon já é formalmente candidato no programa de aquisição de 60 caças convocada nos Emirados Árabes Unidos. Segundo se soube na semana anterior, e de acordo a alguns meios de comunicação britânicos, BAE Systems, líder da campanha atual de exportação nos Emirados Árabes Unidos, já formalizou a proposta para se candidatar a um contrato no valor de 7.000 milhões de euros.

 

 

Em um momento de importância vital para garantir campanhas bem-sucedidas com o objetivo de exportar a todo o mundo, a proposta chega depois de que, na semana passada, a Coreia do Sul reiniciasse o processo de licitação para o programa FX, por mais de 60 caças, no qual Thypoon Eurofighter concorre com o F-35 e F-15SE.

Se na Coreia se concorre com a Boeing e a Lockheed Martin, o rival nos Emirados Árabes Unidos é o Dassault Rafale, o qual resultou recentemente ecolhido no  mega-contrato da Índia por 126 exemplares, embora o acordo não tenha sido assinado e que o processo ainda está pendente por parte da  Eurofighter. Segundo alguns analistas, selecionados Eurofighter Emirados Árabes Unidos, a Índia poderia chegar a replantear o acordo com a Dassault. "Se um contrato for assinado com Emirados Árabes Unidos, isso pode colocar pressão sobre a Índia, uma vez que seria o único cliente de exportação para o Rafale, e que pode significar uma mudança de imagem para o Thypoon, mesmo que a Índia não entra em nossas expectativas", explicou um especialista citado pela Reuters.

A projeção no Oriente Médio pode permitir ao consórcio europeu compensar os cortes profundos que estão sendo feitos na Europa na defesa. Além disso, de acordo com o The Telegraph, poderia existir uma cláusula junto a Emirados Árabes Unidos para fabricar VANTs.


Copyright © Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.