Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Saab e Damen unem forças para participar do programa de submarinos holandês

A empresa da defesa sueca Saab e o estaleiro holandês Damen anunciaram a formação de uma aliança com a finalidade de participar do programa de submarinos holandeses para substituir a classe Walrus. A parceria também se estenderá para os submarinos do mercado internacional. Saab adquiriu este verão a Kockums do estaleiro alemão TKMS, que era dono da empresa desde 1999, quando uma de suas empresas, HDW, comprou o grupo sueco Celsius por meio de troca de ações. Saab possui novas tecnologias críticas na área de construção de submarinos, tais como propulsão independente de ar (AIP), enquanto Damen é o principal estaleiro holandês, de modo que as empresas consideram que existem complementaridades para justificar a aliança.

Ambas as empresas estão confiantes de que a combinação das suas capacidades e competências de investigação e desenvolvimento para acelerar a proposta de submarinos para a Holanda. Ambos acreditam que o novo submarino holandês vai se tornar um líder entre os submersíveis convencionais. No caso de programa submarino australiano, Saab teria oferecido uma versão do seu novo submarino A26, com um deslocamento que aumentou de 3.000 a 4.000 toneladas, especialmente para cumprir os requisitos australianos.

O programa de submarinos holandês poderia ser definido este ano, já que o Ministério de Defesa deste país pretende apresentar em 2015 os requerimentos técnicos para os quatro submarinos que deve adquirir. Mesmo assim, podem existir retraso ocasionados pelas atuais restrições orçamentárias, e a enorme despesa que está significando a participação da Holanda no programa F-35 Joint Strike Fighter. Os submarinos da classe Walrus estão atualmente passando por uma modernização avaliada em quase 100 milhões de euros para permitir estender a sua vida útil até 2025, quando deveriam ser ativados os seus substitutos operacionais. (JNG)


© Copy Right Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.