Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Marinha Portuguesa receberá um quinto navio de patrulha SF300

(defensa.com) A Marinha Portuguesa receberá um quinto navio de patrulha costeira SF300 (Standard Flex 300 ou STANFLEX 300) da Dinamarca. Esta unidade que conserva os dois motores a diesel MTU Friedrichshafen 16V 396TB94 e geradores da Detroit Diesel Corporation (DDC) servirá como fonte de peças de reposição para os restantes quatro navios retirados do serviço pela Marinha Real Dinamarquesa em Outubro de 2010 e adquiridos por Portugal.

Portugal celebrou em Outubro de 2014 um contrato de 4 milhões de euros com a Forsvarsministeriets Materiel- og Indkobsstyrelse (FMI) da Dinamarca para a aquisição dos navios HDMS "Viben (P562), HDMS "Ravnen" (P560), HDMS "Glenten" (P557) e HDMS "Skaden" (P561) construídos pelo estaleiro local Danyard A/S e que no passado integravam a Classe Flyvefisken. Na Marinha Portuguesa, as quatro unidades de superfície adoptam os nomes de NRP "Tejo" (P590), NRP "Douro" (P591), NRP "Mondego" (P 592) e NRP "Guadiana" (P 593) respectivamente, constituindo a Classe Tejo. O primeiro navio, o NRP "Tejo" chegou a Portugal no dia 12 de Maio de 2015 e encontra-se actualmente nas instalações do estaleiro público Arsenal do Alfeite onde está a ser submetido a actividades de análise e verificação da sua condição. Os restantes navios de superfície deverão chegar a Portugal até ao final do mês de Agosto de 2015 para passarem por procedimento idênticos à primeira unidade recebida.

Antes da sua entrada ao serviço hoje prevista para 2016 e 2017, os navios serão modernizados em Portugal pelo Arsenal do Alfeite no âmbito de um contrato a ser celebrado com a marinha. Os custos associados ao processo de modernização deverão rondar os 24 milhões de euros. Ainda não foram exactamente definidas quais as tecnologias e soluções escolhidas para instalação e integração nos quatro navios mas são considerados entre outros equipamentos um sistema integrado de comunicações, um novo radar de navegação de Banda-I, um sistema electrónico de cartografia digital, um sistema de identificação automática e um sensor electro-ótico.

Serão instalados suportes para metralhadoras pesadas de 12.7mm, e removidos os armários na ponte que acolhiam originalmente os terminais e equipamentos associados ao sistema de gestão de combate da Terma /CelsiusTech. No local hoje ocupado pelos armários será criado um espaço de trabalho. O sistema integrado de gestão da plataforma da Lyngsø Marine, e o sistema de propulsão original constituído pelos dois motores, os três geradores e a turbina a gás GE Marine LM500 serão mantidos. De construção modular, o navio SF300 oferece um deslocamento carregado de 525, 4 toneladas, um comprimento 54 metros, uma boca máxima de 9 metros, velocidade máxima de 30 nós, uma autonomia de 2400 milhas náuticas e é operado por uma guarnição composta por 29 elementos.

A frota permitirá concretizar a substituição progressiva dos actuais navios patrulha da Classe Cacine e o navio NRP "Schultz Xavier" (A521) na execução de diversas tarefas nos espaços marítimos costeiros sob jurisdição nacional, principalmente as missões de vigilância, controlo e busca e salvamento. (Victor M.S. Barreira)

Fotografia 1: NRP "Tejo" nas instalações do Arsenal do Alfeite no passado dia 11 de Junho (Victor M.S Barreira).
Fotografia 2: A Marinha Portuguesa ainda mantém ao serviço activo parte dos navios patrulha da Classe Cacine (Victor M.S Barreira).



© Copy Right Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.