Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

França realiza missões no espaço aéreo da Síria

Dois caças Rafale do Esquadrão de Caça EC 3/30 Lorraine da Força Aérea Francesa estacionados na Base Aérea Nº 104 de Al Dhafra a sul da cidade de Abu Dhabi nos Emirados Árabes Unidos (EAU) conduziram no dia 8 de Setembro a primeira missão de reconhecimento em território Sírio. As missões de inteligência, reconhecimento e vigilância foram realizadas com a ajuda do sistema Reco-NG produzido pela Thales Optronique. O sistema também conhecido pelo nome de AREOS (Airborne REcce Observation System) tem como função a captação e gravação de imagens de posições no solo e potenciais alvos para que analistas especializados possam depois analisar, interpretar e identificar as informações recolhidas.

Pelo menos uma aeronave esteve equipada com o Reco-NG mas desconhece-se a segunda também levava o sistema, ou se serviu apenas para garantir a proteção do primeiro caça contra qualquer ameaça proveniente do solo ou do ar. Os caças foram apoiados na missão por uma aeronave de reabastecimento em voo C-135FR da Força Aérea Francesa.

As imagens recolhidas deverão servir no planeamento e condução das futuras operações de bombardeamento e neutralização de posições ocupadas por elementos que integram hoje o Estado Islâmico (EI) ou Daesh e outras forças terroristas associadas. É a primeira vez que caças Franceses são envolvidos nas operações aéreas até hoje realizadas na quase totalidade por meios aéreos dos Estados Unidos. Estas missões iniciais resultam de uma medida anunciada no dia 7 de Setembro pelo Presidente da República Francesa e máximo chefe das forcas armadas daquele país da NATO François Hollande, quando revelou que tinha dado indicações para que as missões de reconhecimento na Síria fossem iniciadas nos próximos dias.

No dia 9 de Setembro, as missões de reconhecimento continuaram com o recurso a uma aeronave de patrulha marítima Atlantique 2 da Marinha Francesa destacada para o espaço aéreo Sírio com o objetivo de recolher diversas informações com ajuda de meios de inteligência de imagem e inteligência eletrónica instalados. As missões realizadas nos dois dias foram conduzidas a partir do Centro Combinado das Operações Aeroespaciais de Al Udeid no Qatar. As missões Francesas no espaço aéreo Sírio complementam as operações militares desenvolvidas no Iraque no âmbito da operação Chammal.

Ao estarem concluídas as missões de reconhecimento, deverá ser iniciada a fase de bombardeamento aéreo com o potencial recurso ao míssil de cruzeiro de longo alcance MBDA SCALP-EG (Système de Croisière Autonome à Longue Portée - Emploi Général) e de bombas convencionais equipadas com sistemas de guiamento de precisão das famílias Sagem AASM (Armement Air-Sol Modulaire) e Raytheon GBU (Guided Bomb Unit). No apoio à utilização do armamento, deverá ser utilizado o sistema de designação de alvos Damocles da Thales Optronique. A França mantêm ainda caças Dassault Aviation Mirage 2000D e Mirage 2000NK3 na Jordânia. (Victor M.S. Barreira)

Fotografia 1: Caças Rafale F3 da Força Aérea Francesa (Força Aérea Francesa).
Fotografia 2: Sistema de reconhecimento Reco-NG empregue pelos Rafale F3 Franceses na Síria (Victor M.S. Barreira).


© Copy Right Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.