Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Argentina inaugurou o seu terceiro radar primário 3D de longo alcance e assina contrato para a construção de seis novos

A presidente Cristina Fernandez de Kirchner inaugurou a terceira unidade RPA 3D (Radar Primário Argentino) de longo alcance e anunciou a assinatura do contrato para a construção de seis novos, também produzidos localmente. O investimento acumulado para a instalação do radar no país é de cerca de 100 milhões de euros, o novo contrato vai exigir um pouco mais do que esse cifra. Os materiais são de tecnologia doméstica, com 80 por cento de componentes argentinos. O radar primário, para uso em defesa e segurança, pode detectar aeronaves, incluindo as querem ser detectadas ou não. O RPA é um sofisticado equipamento de detecção, monitoramento e controle com um raio de cobertura de 400 km. O mesmo parece ter um excelente desempenho, baixos custos de manutenção ,sendo facilmente adaptável a diferentes cenários geográficos e climáticos.
Os sistemas estão localizados em Merlo (Buenos Aires); Las Lomitas e Engenheiro Juárez (Formosa); e San Pedro (Misiones), este último vizinho a Brasil e em processo de instalação. Ao mesmo tempo estão em produção aqueles destinados a Pirané (Formosa) e Península Valdés (Chubut). Também está em processo de fabricação a unidade que vai funcionar Ilha Grande de Tierra del Fuego. Em 2004, apenas quatro aeroportos tinham radares e atualmente 27 dispõem de modelos secundários monopulso produzidos pelo Invap, ou seja, 95 por cento das rotas comerciais estão radarizadas, especificou o ministro da Defesa, Agustín Rossi. Ao mesmo tempo, foi assinado um novo contrato para a produção da segunda série de 6, que irá expandir a vigilância da cobertura e espaço aéreo, O Ministério da Defesa espera instalar em Corrientes (Entre Rios); Punta Rasa e Bahia Blanca (Buenos Aires), Neuquen e na província de Santa Cruz.
Com a aprovação com sucesso do protótipo em 2014 (inaugurado em Merlo), foi concluída a etapa de desenvolvimento desta tecnologia estratégica para a defesa e segurança. Depois deste marco em matéria de soberania tecnológica, Argentina passa a contar com capacidade comprovada e homologada para começar a produzir radares primários 3D em série. Do mesmo modo, em 2004 foi criado o “Sistema Nacional de Vigilancia y Control Aeroespacial (SINVICA)”, uma estratégia nacional para instalação de radar sem precedentes para cobrir todo o território nacional. A partir desse plano, o governo decidiu desenvolver a sua própria tecnologia e radares de indústria argentina, impulsando esta decisão, o programa. Em 2011 foi assinado o acordo para o desenvolvimento e fabricação da primeira série, de 6 de radares primários do país.
No contexto da SINVICA e através de uma parceria entre o INVAP e a Força Aérea Argentina (FAA), também foram desenvolvidos, fabricados e instalados no país 22 RSMA (Radar Secundário Monopulso Argentino) para o controle de tráfego aéreo civil e comercial cobrindo quase 100 por cento das rotas aéreas nacionais. O país tornou-se parte das poucas nações no mundo que dominam a tecnologia 3D em radares primários. INVAP fornece a sua capacidade técnica e experiência para desenvolver esta tecnologia estratégica no país. Além disso, Fabricaciones Militares realiza o gerenciamento do projeto e assume a propriedade dos direitos e patentes, enquanto que a FAA definiu os requisitos técnicos como operador e usuário final. Também homologou a tecnologia de radar primário na Base Aérea de Moron através da sua Direção Geral de Investigação e Desenvolvimento (Luis Piñeiro, correspondente do Grupo Edefa em Buenos Aires)


© Copy Right Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.