Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Arábia Saudita vai construir uma aeronave de carga derivada do Antonov AN-32

Arábia Saudita, que perseguiu durante anos a montagem da sua aeronave de transporte , chegou a um acordo com a fabricante de aviões Antonov. Taqnia Aeronautics Co., uma subsidiária do desenvolvimento de negócios e investimentos de Taqnia Arábia assinou um acordo com o fabricante ucraniano Antonov para desenvolver uma nova versão do veterano An-32 na Arábia Saudita. O plano de construção vai começar em dois anos. O acordo foi assinado na quarta-feira na sede da KACST (King Abdulaziz Cty for Science and Tecnology), em Ryad pelo presidente da Taqnia Aeronautics e KACST, Turki Bin Saud Bin Mohammed Al-Saud, e o presidente da Antonov, Dmytro Kiva. Inclui a transferência de tecnologia e formação de sauditas nas mãos de pessoal técnico ucraniano.

O que é surpreendente é que para o contrato tenha sido eleita uma plataforma veterana, como a do An-32, para levá-la a um novo nível. A nova aeronave, chamada An-132 vai adotar novos motores (possivelmente Pratt e Whitney Canada) e aviônicos ocidentais. O objetivo é incrementar tanto o alcance como a capacidade de carga, a que aumentará a dez toneladas. A origem deste acordo deve ser procurada em 2013, quando o atual presidente da KACST Taqnia Aeronáutica visitou a planta da Antonov. Foi anunciada a primeira encomenda de oito aeronaves, para as quais já pagou US $ 150 milhões. O Antonov An-32B Cline é uma aeronave de transporte médio projetada e fabricada na Ucrânia por Antonov JSC, a qual tem um comprimento 23,78 m, uma envergadura de 29,20 m. e uma altura de 8,75 m. Ele é alimentado por dois motores Iychenko Progresso AI-20DM cada um dos 5.112 hp que dar uma velocidade máxima de 530 km / e um cruzeiro de 470 kmh. O teto da operação é de 9.500 m. e o seu alcance de 2.500 km. O seu peso máximo de decolagem é 27.000 kg. A aeronave pode transportar 42 pára-quedistas, 50 soldados ou 24 macas. (JNG)


© Copy Right Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.