Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

11 mortos e 20 feridos, quatro deles graves, na queda do F-16 da Força Aérea grega em Espanha

(defensa.com) O acidente do F-16 grego na Base Aérea de Albacete durante a decolagem, informado ontem por defensa.com , resultou em 11 militares mortos, o último, o francês François Combourie, morreu hoje, e 20 feridos, incluindo três franceses e italianos internados na Unidade de Queimados de La  Paz, que os mantêm estáveis dentro da gravidade.

Como foi confirmado pelo Ministério da Defesa espanhol, o caça grego biplace, tripulado por dois capitães, integrado no Curso Tactical Leadership Programme (TLP) da OTAN, que atualmente acolhe 700 militares, começava a realizar uma exercício, quando durante a decolagem, por razões ainda desconhecidas, bateu na plataforma de estacionamento contra alguns dos aviões  estacionados lá. Os pilotos morreríam no acidente, chegando a pular a cúpula mas sem haver ejeção, relata Defesa. As vítimas, além dos dois capitães gregos são nove soldados franceses. O ministro da Defesa da França, Jean Yves Le Drian chegará em Madrid nas próximas horas. Os outros países participantes não registraram vítimas (EUA, Alemanha, Reino Unido e Espanha).  Os  feridos são oito militares franceses e 11 italianos. Além do F-16 de origem grega acidentado, foram afetados mais aviões estacionados na área atingida pelo caça grego , 2 AMX italiano,  2 Alfa Jet 1  Mirage 2000 da França. .

Ficou encarregado da investigação do acidente o Tribunal togado No. 13 de Valencia e uma equipe de polícia judiciária da Guardia Civil, decretando o sigilo do processo. O CITAAM (Comitê de Investigação Técnica de Acidentes em Aeronaves Militares) encontra-se na área pesquisando as causas da tragédia. O Ministro de Defesa, Pedro Morenés, se transladou ontem para a base aérea de Los Llanos de acompanhar a evolução e conhecer os detalhes do acidente, bem como acompanhar os comandantes de base e colegas das vítimas.

O Tactical Leadership Programme da OTAN forma pilotos desde 1978. A OTAN mudou a sede do mesmo em 2009 à Base Aérea de Albacete e  o 4 de Novembro do mesmo ano, iniciaram o primeiro ano lectivo, cujo voos começaram no dia 11. Além do mais, a transferência para Albacete envolveu uma modificação do programa, ou seja, que a seção acadêmica e os conceitos e doutrinas foram fundidos em um (Academics and Doctrine Branch).

Graças nomeadamente a este programa, a Base de Albacete ganhou reputação internacional e é considerada um centro de excelência para o treinamento de pilotos e tripulações em liderança tática. A introdução do Programa de Liderança Tactica foi uma decisão da sede da NATO na Europa Central, que na década de setenta decidiu impulsionar as operações aéreas táticas multinacionais.

Em Janeiro de 1978, Alemanha, Bélgica, Canadá, Estados Unidos, Holanda e Reino Unido assinaram o lançamento da TLP sediado  na Fürstemfeldbruck Air Base (Alemanha). Os cursos e seminários começaram como seminarios de duas semanas em que as equipes de especialistas expostas, debatiam, avaliavam e formulavam táticas, técnicas e procedimentos. Em setembro de 1979, o programa foi destacado no   norte da Alemanha, na Jever Air Base, e ao seminário, foi  lhe adicionada uma fase de vôo, ampliando  o mesmo e a quatro semanas. Em Jever 71 cursos de graduação vôo, com quase dois mil pilotos e tripulantes  formados ,foram concluídos.

Em março de 1989, a TLP mudou-se para a Base Aérea de Florennes (Bélgica) e foi reestruturado em três seções: à de  voo já existente (Flying Branch), juntaram-se a de Estudos (Academics) e Doutrina (Concepts and Doctrine). Um oficial de ligação de l’Armeé de l’Air se juntou à equipe do TLP e a França e começou a participar activamente nos cursos. Em 1996, a Dinamarca ea Itália foram incorporadas. Em 1997, o Canadá deixou o programa para retirar as suas forças da Alemanha, mas manteve um oficial de ligação e continuou  participando dos cursos.

Em janeiro de 2002, o TLP se tornou uma unidade de apoio do Quartel General Aliado na Europa (SHAPE, ou Supreme Headquarters Allied Powers Europe), o qual juntou-se como um parceiro a mais no programa. O TLP então foi  renomeado Programa de Liderança Tático do Comando Aliado  de Operações (ACO TLP, o Allied Command Operations TLP). Nesse mesmo ano, a Espanha aderiu ao programa, ampliando a  sua projeção ao sul da Europa. Em 2009, também foram incorporadas a França e Grécia.


© Copy Right Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.