Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Reativado o Programa de Aquisição de Radares reativado na Força Aérea do Peru

A Força Aérea do Peru está prestes a apresentar ao Ministério de Defesa do país , o Projeto de Investimento Público (PIP) – procedimento que determina os requerimentos e sustenta os gastos a realizar- para adquirir 6 Radares de Vigilância 3D., sendo aida desconhecido o orçamento atribuído a estes sistemas.

Aparentemente a decisão de vir a adquirir os Radares de Vigilância 3D, Baterias de Míssesis e MANPADS, em processo independentes e seqüenciais – acordes com os recursos asignados no orçamento- seria devida (junto ao fracasso dos quatro processo realizados entre 2011 e 2013) à urgência de contar com uma cobertura radar a nível nacional , tanto para defesa, como para interditar e interceptar aeronaves dedicadas ao tráfico ilícito de drogas.

O primeiro processo - realizado entre novembro e dezembro de 2011 - foi declarado "deserto", depois de uma série de problemas conceituais e técnicos de ordem; enquanto o segundo, no qual o ganhador foi o consórcio Northrop Grumman (EE.UU.), Rafael Advanced Defense Systems (Israel) y Bumar Group (Polonia) em fevereiro de 2012 foi cancelado devido às queixas apresentadas pelos postulantes , especialmente a CPMIEC (China Precisión Machinery Import-Export Corporation), que argumentou que os Radares e Sistemas de Mísseis a serem adquiridos não atendiam os requerimentos solicitados.

O terceiro processo acabou sendo controverso ao ser divulgado que entre o 10 e 15 de junho uma comitiva do Ministério da Defesa , integrada pelo Diretor Geral Administrativo, Contra-almirante AP (R) Ernesto Lermo Rengifo e a Chefa do Escritório Geral de Assessoria Jurídica, Paola Lobaton tinha visitado Roma (Itália), onde ocupou um série de reuniões técnicas com a Diretoria Nacional de Armamentos do Ministério de Defesa italiano ,objetivando “continuar com as negociações para a aquisição de sistemas de defesa aérea."

Isso apesar do fato de que não havia nenhuma convocatória em andamento para um processo de seleção internacional e os Requerimentos Técnicos Mínimos (RTM)- vigentes durante os processo anteriores- tinham sido modificados sem sustento técnico algum . As negociações estavam orientadas ao fornecimento de 3 Radares de Vigilância 3D RAT-31DL / M – de 400 km. de alcance instrumental- e 2 RAT-31SL 3D (450 km. de alcance), assim como 3Baterias de Mísseis MBDA SPADA 2000 Plus por uma quantidade de 150 milhões de euros.

Por último, para o quarto processo foi designado um comitê avaliador técnico-Operacional (CETO)- comandado pelo Tte. General FAP Héctor Mosca Sabate (Comandante do Controle Aeroespacial) – o qual demorou três meses em determinar que o Sistema de Defesa Aérea proposto pela República Popular China, integrado por Radares JYL-1, Baterias de Mísseis HonQi HQ-12 (KS-1A) e MANPADS QW-18 era o mais adequado aos requerimentos operacionais, e também respeito aos orçamentos asignados, próximos aos 160 milhões de dólares.

As propostas técnico- econômicas de Israel, Itália e Rússia ,bem como do Consórcio conformado por Indra (Espanha) Diehl Defence (Alemanha) e LG NEX1 (Coreia do Sul) foram descartadas, nem tanto pelos aspectos técnicos , mas por exceder amplamente o valor referencial. Depois de analisar o processo técnico, o MINDEF optou por não adotar o Relatório da Força Aérea do Peru e o processo de entrou em fase de revisão. (Alejo Marchessini Correspondente do Grupo Edefa em Lima).


Copyright © Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.