Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Interceptando lançamentos originados desde dois pontos contrários, o sistema MEADS obtém êxito em novo teste

O sistema de defesa aérea MEADS (Medium Extended Air Defense System) obteve significativo sucesso em recente teste realizado no White Sands Missile Range (Novo México, EUA). Todos os elementos do sistema foram testados, inclusive o radar de vigilância de 360º, o gerenciador de combate integrado em rede, dois lançadores leves disparando mísseis PAC-3 MSE (Missile Segment Enhanced) e o radar de direção de tiro em 360º MFCR (Multifunction Fire Control Radar). O primeiro alvo foi uma aeronave QF-4 não tripulada, que se aproximou do sul, simultaneamente com o lançamento de um míssil Lance, proveniente do norte. O radar de vigilância adquiriu os dois alvos transmitiram os dados ao gerenciador de combate, que por sua vez repassou instruções ao MFCR, que rastreou os alvos e guiou os mísseis. Em novembro de 2011 e em novembro de 2012, o MEADS havia sido bem sucedido no engajamento de dois outros alvos.

Os ensaios foram realizados na quarta pasada, quando o sistema interceptou e destruiu de modo simultáneo dois objetivos: um VANT QF-4, desde o sul, e um míssil Lance, posicionado ao norte. Ambos foram rapidamente detectados pelos radares do sistema, os quais gerenciaram o lançamento de mísseis destruindo os objetivos. Segundo Gregory Kee, diretor geral da agência responsable por gerenciar o MEADS na OTAN, este sucesso “e o coroamento de uma tarefa conjunta de três países que trabalham em conjunto para projetar, desenvolver e implementar o mais avançado sistema de defesa de mísseis no mundo. Nenhum sistema terrestre AMD pode interceptar  dois objectivos desde duas direcções ao mesmo tempo como o fez MEADS".

O FUTURO INCERTO PASSA PELA POLÔNIA
O sistema de defesa antimísseis MEADS está sendo desenvolvido em conjunto pelos Estados Unidos (a través da empresa Lockheed Martin), Itália e Alemanha (com MBDA) em uma empresa multinacional compartida com sede em Orlando, MEADS International, e é esperado que o sistema esteja operacional em 2018. No entanto, o projeto enfrenta uma situação controversa porque Washington quer retirar financiamento citando cortes no orçamento. De fato, em 2013, EUA tem injetado $ 310.000.000 de dólares para que o MEADS conseguisse realizar os testes finais.

Varsóvia poderia ser a chave para a continuação do projeto. De acordo com a Reuters, os representantes poloneses participaram de teste na quarta-feira por estar interessados no MEADS. Polônia estaria esperando convocar um concurso que poderia chegar a 5.000 milhões de dólares para a aquisição de um sistema de defesa até o final de 2014. O custo do MEADS agora está em cerca de 3.400 bilhões de dólares, dos quais 58 %, mais de 2.000 milhões, foram financiados pelos EUA, enquanto Roma e Berlim têm contribuído para o seu desenvolvimento, com 17 % e 25% do total, respectivamente.


Copyright © Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.