Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

França retira do serviço ativo os últimos caças Mirage F1

(defensa.com) No próximo dia 13 de Junho, a Força Aérea Francesa retirará oficialmente do serviço ativo os caças Mirage F1 construídos e fornecidos no passado em diversas versões pelo fabricante local AMB-BA que é hoje a Dassault Aviation. O Esquadrão 2/33 Savoie opera desde a Base Aérea Nº118 de Mont-de-Marsan os últimos caças nas versões Mirage F1B e Mirage F1CR, o primeiro empregue principalmente em missões de treino e o segundo largamente utilizado em missões de reconhecimento tático.

Equipado com o sistema aéreo ASTAC (Analyseur de Signaux TACTiques), o Mirage F1CR tem sido empregue pela França em operações de reconhecimento em solo estrageiro nomeadamente em prol das operações militares conduzidas na Líbia e no Mali. O Mirage F1CR foi projetado na Lituânia em 2013 onde integrou a missão da NATO de policiamento aéreo no báltico.

Com a retirada dos Mirage F1CR, a função de reconhecimento tático será no futuro assumida por aeronaves de combate Dassault Aviation Mirage 2000D modificadas pela Thales Systèmes Aéroportés no âmbito de um contrato celebrado com a DGA (Direction Générale de l´Armement) para realizar a integração do sistema nos caças.

Diversos países em vários continentes receberam o Mirage F1 mas poucos ainda utilizam o mítico caça Francês. Marrocos é uma das poucas nações que hoje mantêm o caça, tendo escolhido a Francesa Sagem do grupo Safran para modernizar a frota existente. (Victor M.S. Barreira)

Fotografia: Caça de reconhecimento Mirage F1CR da Força Aérea Francesa (Victor M.S. Barreira).


Copyright © Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.