Actualidad
Spanish Chinese (Traditional) English French German Italian Portuguese Russian

Entrega oficial das últimas duas LPR-40 colombianas para a Marinha do Brasil

A Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval, realizou, no dia 11 de março, a Cerimônia de Entrega de duas Lanchas-Patrulha de Rio (LPR) ao Comando da Flotilha do Amazonas (ComFlotAM), no Cais da Estação Naval do Rio Negro, no Amazonas.

As LPR foram adquiridas na Colômbia e pertencem a uma série de quatro unidades adquiridas pelo Brasil, em decorrência do contrato firmado, em 26 de dezembro de 2012, entre a empresa colombiana Corporación de Ciencia y Tecnología para el Desarrollo de la Industria Naval Marítima e Fluvial (COTECMAR) e a Marinha do Brasil, por meio do qual foram projetadas e construídas em Cartagena, na Colômbia, com base em embarcações semelhantes, empregadas naquele país em situações de conflito real.

A obtenção foi possível devido ao esforço integrado da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro, de acordo com as diretrizes existentes, evidenciando a intenção de consolidar uma parceria ente o Brasil e Colômbia, para fortalecer a base industrial de defesa sul-americana, já consolidada a nível aeronáutico com a parceria industrial colombiana no KC-390.

Respeito ao desempenho das unidades, estas devem realizar missões de patrulha e inspeção naval, o transporte de pequenas quantidades de tropas e operativos anfíbios sobre a vasta rede de afluentes do rio Amazonas. As mesmas chegam a uma velocidade máxima de 27 nós, foram construídas em fibra de vidro, reforçada, contando com capacidade de reação rápida e de fácil acesso para lugares com espaço limitado, podem transportar até 500 litros de combustível e 950 kg de munição, sendo o seu comprimento de 12,7 m com um deslocamento de 13,5 toneladas e podem utilizar sistemas de artilharia com diferentes tamanhos, de 7,62 milímetros e 12,7 milímetros, assim como transportar lançadores de granadas de 40 milímetros. (Carlos Vanegas e Javier Bonilla)


Copyright © Grupo Edefa S.A. Prohibida la reproducción total o parcial de este artículo sin permiso y autorización previa por parte de la empresa editora.